quarta-feira, 8 de novembro de 2017

08/11

Esse é aquele dia
Aquele dia de Novembro
Depois das formigas de asa
E dos besouros que caem

As coisas estão razoáveis
Mas você se questiona e sente sono
Talvez seja a chuva
E o calor e depois o frio

Sua cabeça se afasta
Com mais frequência do que você gostaria
Mas vc tenta estar voltar pro presente
Que é o que existe no fim das contas

sábado, 23 de setembro de 2017

Não foi nada. (...) Vem pra casa.

Existencial

Se tudo der errado
Eu vou morrer
Mesmo tudo dando certo
Eu vou morrer
Eu sou determinou
A morte faz parte da vida

Está tudo bem.

"It's a perfect world all the same."

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

De volta ao Passo

Quando eu cheguei, elas tavam provando looks com as capas de chuva rosas que tinham ganhado pois iam acampar...
Isso eu fiquei sabendo depois.

Trocamos um tanto sobre empoderamentos femininos e artísticos.

As paredes, móveis e chão cheios de arte... na casateliê que agora era só dela.

Uma tarde inspiradora. :)

terça-feira, 7 de junho de 2016

Ainda vai ter aqueles dias

que você se sente a pior pessoa do mundo
o cocô do cavalo do bandido
um loser bem loser
entre lágrimas e dúvidas.

mas lá no fundo bem fundo
você sabe
de uma forma ou de outra isso vai passar.

sábado, 9 de abril de 2016

A mente mente

O que está te matando hoje não significa nada amanhã.

Alegria, saúde, conexão

conseguir escrever
se sentir alegre, 
saudável,
conectado 
(com as próprias emoções).

saudades. :)

Ir ao Rio de Janeiro, não morar lá

Ir ao Rio de Janeiro
pela primeira vez como turista
foi uma sensação engraçada:

Uma mistura de nostalgia e familiariedade boa
de um amigo que já te fez passar muita raiva.

As amendeiras ainda estão lá
o trânsito odioso também
e os cariocas,
aquela coisa.

Um calor insuportável no outono
tentando te conquistar
pro lado praia da força.

As obras estão adiantadas
e o porto realmente maravilha.

Passear no Rio pode ser encantador
e dessa vez fiquei emocionada
e me achando tão ishperta
de saber andar por lá sozinha.

O guia do museu também não tinha nascido lá.

Ele disse:
O Rio é uma cidade sincera
Mostra suas qualidades e defeitos pra quem quiser ver.

Eu concordo com ele
(mesmo preferindo que as coisas fossem diferentes:
melhores)
quero ir mais vezes passear por lá.

quinta-feira, 3 de março de 2016

Infância

Até 2011 eu dormia numa bicama com a minha irmã.
Quem dormisse primeiro, dormia na cama de cima
pra não atrapalhar a circulação.

Tem coisas que parecem que nunca vão mudar.
Mas elas mudam.

As vezes dá nostalgia.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016